jusbrasil.com.br
14 de Abril de 2021
    Adicione tópicos

    Mães de Acari pedirão ajuda internacional

    OAB - Rio de Janeiro
    Publicado por OAB - Rio de Janeiro
    há 11 anos

    Do jornal O Globo

    26/07/2010 - A revelação de que uma testemunha depôs no Ministério Público Estadual contando detalhes de quem participou e como foi a Chacina de Acari, há 20 anos, deu mais um estímulo às mães dos 11 jovens desaparecidos.

    Ontem, Marilene Lima de Souza, de 58 anos, mãe de Rosana de Souza Santos, sumida aos 18 anos, disse que vai solicitar hoje à Anistia Internacional que pressione o MP para desarquivar o inquérito sobre a morte de Edméa da Silva Euzébio, mãe de uma das vítimas, assassinada em 1993, na Praça Onze, em circunstâncias misteriosas. O inquérito está na Delegacia de Acervo Cartorário da 6ª DP (Cidade Nova) e contém o relato da testemunha.

    Nele, além de afirmar quem matou Edméa e o motivo, a testemunha desvendaria o mistério em torno do desaparecimento dos 11 jovens de Acari, cujo crime prescreve hoje. Segundo o coronel Valmir Alves Brum, da reserva da Polícia Militar, o conteúdo do depoimento tem riqueza de detalhes que poderiam elucidar o caso de Acari.

    "É um absurdo uma informação tão preciosa não ter sido nem checada. O caso de Acari prescreve amanhã (hoje), após 20 anos de muita luta para que não ficasse impune. Isso não pode terminar assim" , desabafou Marilene antes da exibição do filme "Luto como mãe" , ontem, na quadra da Escola de Samba Favo de Acari, evento que marcou os 20 anos da chacina e trouxe de São Paulo as Mães de Maio, cujos filhos sumiram em circunstâncias semelhantes.

    O promotor Rogério Scatamburlo, coordenador do Centro Integrado de Apurações Criminais (Ciac), disse que vai checar a existência do inquérito na Deac da 6aDP e o depoimento da testemunha sobre o caso de Acari.

    Novelista cobra respostas para as mães A novelista Glória Perez, que acompanhou de perto as investigações da chacina, se diz indignada.

    "Prescrição de crimes de homicídio é um absurdo em qualquer lugar do mundo. Ainda mais nesse caso. Estive lado a lado com as mães de Acari durante esses anos, vi de perto o quanto lutaram buscando o direito de enterrar os filhos, clamando por uma investigação nunca feita. As mães de Acari são as Antígonas brasileiras. O Estado deve a elas uma resposta, e cabe a nós, como cidadãos, juntar nossas vozes às delas, clamando para que a injustiça não seja sacramentada".

    Corpos nunca foram encontrados

    A Chacina de Acari aconteceu em 26 de julho de 1990, quando 11 jovens moradores da Favela de Acari, no subúrbio do Rio, desapareceram de um sítio em Suruí, Magé, na Região Metropolitana. Três deles tinham envolvimento em assaltos e, descobriu-se durante as investigações, deviam dinheiro de propina a policiais. Eles teriam sido sequestrados por policiais do 9º BPM integrantes de um grupo chamado Cavalos Corredores. Nunca foram localizados, apesar das várias buscas feitas pela Polícia Civil e pelo Ministério Público. As mães dos jovens conquistaram apoio internacional, e grupos de defesa dos direitos humanos criticaram a ação dos órgãos públicos nas investigações.

    Os casos de desaparecimentos começaram a ser computados pelas autoridades um ano depois. Uma tese de doutorado em fase de elaboração pelo pesquisador da UFRJ Fábio Araújo revela que, de 1991 até maio deste ano, 75.183 pessoas desapareceram. A pesquisa, com base em dados fornecidos pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), mostra que entre 7% e 10% dos desaparecidos foram vítimas de homicídios.

    A série histórica do ISP revela também que 2009 foi o ano em que ocorreram mais desaparecimentos: foram 5.425 pessoas sumidas, superando o ano de 2008, que havia apresentado o maior número desde 1991, com 5.095 casos.

    Desaparecimentos: em 2010, 2.241 já foram registrados Nos cinco primeiros meses deste ano, o número de casos já chega perto do registrado no primeiro ano da série histórica, 1991. Até maio, ocorreram 2.241 desaparecimentos. Em janeiro, foram 481; em fevereiro, 473; em março, 447; em abril, 437; e em maio, 403 casos.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)